No nosso primeiro fim de semana na Itália, eu, minhas duas irmãs (Carla e Bruna) e Dienifer (minha ajudante) resolvemos ir pra Florença. A cidade é o berço do renascimento italiano, centro do humanismo europeu, com figuras como Dante e Leonardo da Vinci, e parada obrigatória para amantes da arte. Fiquei muito feliz e animada porque viajar sozinha me traz a sensação de liberdade e de fazer parte de um mundo que antes só pertencia às minhas irmãs. Sempre via as duas viajando pelo mundo e tinha uma imensa vontade de participar também.

Fomos de trem, 2 horas de viagem de Roma até Florença. Também nunca tinha viajado de trem, às vezes ficava imaginando como seria. Achei muito legal nos primeiros 10 minutos que me mantive acordada rsrs. Abri os olhos somente no nosso destino final, pegamos um táxi e dali nos encaminhamos ao hotel para deixarmos nossas bagagens e sair para jantar, pois estávamos famintas.

Saímos “caminhando” pelas ruas estreitas e com pouca iluminação, por ser uma cidade muito antiga as vias são assim. Segunda a Dienifer, os “becos” de Florença deram um certo medo nela, mas nós explicamos que eles são extremamente seguros e ela começou a curtir o passeio.

Como os pontos turísticos são muito próximos, podemos ir em quase todos a pé.

Na ida ao restaurante passamos pela Piazza della Signoria, uma das praças mais bonitas da cidade. Lá você encontra o Palazzo Vechio e a cópia de uma das esculturas mais importantes de Michelangelo, David. Passamos pela Fontana del Porcellino, não resistimos e fomos tentar a sorte colocando uma moeda na sua boca e acariciamos seu focinho. A tradição popular diz que tocar o nariz do leitão traz boa sorte. O procedimento completo para obter o bom presságio seria colocar uma moeda na boca do porquinho depois de ter esfregado o nariz: se a moeda cair sobre a grade onde ficam as quedas d’agua você terá boa sorte, caso contrário, não. Nossa última parada antes de irmos jantar foi na Piazza della República, ali existe um lindo carrossel onde muitas crianças se divertiam. Eu também queria aproveitar daquele brinquedo que parecia magico, mas não deixaram. Affff

Chegamos no restaurante Il Latine, pedimos um prato típico de Florença, Bistecca alla Fiorentina. De sobremesa eu pedi um Tiramissu, para variar, mas nós também ganhamos um agrado, o Biscottini e vinsanto, sobremesa característica da toscana. Estávamos cansadas e decidimos ir dormir para aproveitar o nosso segundo dia naquela cidade maravilhosa.

Acordamos cedo, tomamos café e fomos para rua. Nossa primeira parada foi no Batistério São João, um prédio religioso em que acredita-se ser o mais antigo da cidade e famoso por suas portas de bronze. Como a Catedral de Santa Maria del Fiore Duomo de Florença fica praticamente em frente ao Batistério, fomos visitar a quinta igreja da Europa em grandeza e que pode acomodar até 30 mil pessoas. Muito linda! Para ficar registrado na memória para sempre! Almoçamos e seguimos para a Galeria Uffizi, o mais famoso museu de Florença e um dos mais importantes museus do mundo, com a melhor coleção de obras do Renascimento no planeta. O Museu é enorme, ficamos pelo menos duas horas percorrendo suas salas e apreciando as belas obras de arte. Saímos dali e fomos para a Ponte Vecchio, uma ponte em arco medieval sobre o Rio Arno, famosa por ter uma grande quantidade de lojas (principalmente ourivesarias e joalharias) ao longo de todo o seu percurso.

Mas para mim, os melhores passeios ficaram para o último dia. Pegamos um táxi e chegamos na Piazzale Michelangelo, um lindo mirante que permite ver Florença de um ângulo magnífico, com direito ao Duomo, o Rio Arno e a Ponte Vecchio, além das antigas muralhas da cidade. Após admirar aquela vista espetacular e tirarmos algumas fotografias, saímos dali e fomos caminhando até o Palazzo Pitti. Meus olhos se encantaram com a majestosa construção de tamanha riqueza. Com suas salas belíssimas e ricamente decoradas, é um exemplo da inovadora arquitetura renascentista. O Palazzo possui diversos museus e galerias, expondo incontáveis tesouros e obras de arte. O visitante também tem acesso aos aposentos reais, os quartos são ricamente decorados, têm diversos afrescos de conhecidos artistas italianos, tapeçarias e ornamentos em ouro. Puro luxo!

Foi um passeio maravilhoso! Onde respirei cultura o tempo todo e aprendi muito sobre esculturas, quadros e artes em geral!

Não poderia deixar de mencionar que todos os lugares que visitamos tinha acessibilidade, menos nos Jardins Boboli, que fica no Palazzo Pitti. Apesar das ruas serem de pedra, Florença está pronta para receber cadeirantes do mundo todo.

Além disso, eu e Dienifer não pagamos entrada em nenhum local que visitamos. O trem que pegamos, tanto na ida como na vinda, possuía uma super infraestrutura para cadeirantes.

Amei cada segundo nessa cidade!

A presto, Florença! Espero voltar algum dia!