Aprender

By |2019-04-29T14:45:24-03:00abril 30th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , |

Olá, meus queridos leitores! Hoje respondi a uma pergunta e gostaria que você também respondesse: o que você gostaria muito de aprender?

Eu sou uma aprendente com sede! Sede de aprender inglês, de tirar meu sotaque, de falar bem em público, de cantar, pilotar avião, de dirigir carreta, de dançar, me maquiar, a decorar ambientes, a malhar, comer saudavelmente e coisas fáceis como um dom, uma vocação.

Eu sou uma aprendente ansiosa! Ansiosa por apender a sorrir mais, a entender o outro, a não julgar, a acolher, quais são as coisas importantes da vida, a educar melhor meus filhos, a ser sábia, a ter mais intimidade com Deus, a compreender as diferenças, a ter mansidão, saber que todas as coisas boas e ruins passam e ser organizada.

Eu sou uma aprendente que sonha!

Sonha em aprender que as pessoas são muito mais do que consigo enxergar, que cada um tem o seu jeito e maneira de expressar seu amor e suas limitações, a amar apesar de, a ser livre, encontrar a paz, a superar meus traumas, meus medos, a curtir e viajar mais com minha família.

Eu sou uma aprendente que acredita!

Acredita que pode aprender a ser feliz, ser inspiração, fazer o bem, ajudar, sentir a alegria e a dor do outro, abraçar mais, ensinar com o coração, a ser exemplo na minha profissão: “as vezes curar, geralmente aliviar e sempre confortar”.

E finalmente, não quero parar de aprender!

Aprender é vida,
Vida que pulsa,
Vida que se reinventa,
Vida que se confirma,
Vida que muda,
Vida que se movimenta,
Aprender, alimenta o

Quando preciso de força

By |2019-04-22T08:56:12-03:00abril 22nd, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , |

Sempre quando preciso de força, encontro nos meus pais, Vania Maria Dotto Alves e Boaventura Pinto, e nas minhas duas irmãs, Carla Pinto e Bruna Pinto.

Quando estou desmotivada, pensando em desistir da minha luta, quando a vida parece sem graça. Eles me mostram que ela é muito melhor que parece ser, me levantam toda vez que caio, ou até mesmo antes de eu tropeçar já estão me aparando!

Com eles eu aprendo a me renovar, a me reinventar, a me reencontrar, a acreditar em mim novamente e em sentimentos, que já estavam completamente desacreditados!

Tudo que sou, a minha persistência, a forma como vejo a vida devo a minha família e alguns poucos e bons amigos!

Em suas palavras encontro a esperança que sempre o melhor ainda está por vir!

Amo vocês mais que tudo!!

A vida

By |2019-04-04T18:11:17-03:00abril 12th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , , , |

Em novembro do ano passado completei trinta e nove anos. Conversando com minha psicóloga, disse que queria voltar a ter meus 14, 15, 16 anos. Ela me perguntou o motivo pelo qual eu gostaria que isso acontecesse. Eu falei de alguns aspectos físicos que me incomodam. Sou muito vaidosa. Então, ela me mostrou o outro lado da moeda. Me falando que eu não teria toda a maturidade que possuo atualmente. Nem minha bagagem de vida. E completou dizendo, dentre as muitas coisas que conversamos, que a vida é muito mais que umas ruguinhas que vão aparecendo. Que a vida é muito mais que uns dedos que vão ficando mais tortos com o passar dos anos. Que a vida é muito mais que essas pequenas coisas. Que a vida é as relações que construímos com as pessoas. O amor. A nossa alegria. A nossa maturidade que só adquirimos quando vamos ficando mais velhos.

Eu saí de lá muito pensativa e calada. Pois, para mim está sendo bastante difícil esses quase quarenta. Já estava cheia de neuroses com isso.

Fui dormir pensando em tudo que tínhamos falado naquela tarde. Refleti. Então, decidi superar e ficar feliz por ter meus 39 anos. Foi a atitude mais sábia que poderia ter tomado rsrsrs. Porque a vida é o presente. É o agora. É este instante. E este momento. Eu perderia muito tempo se continuasse me lamentando. Perderia tempo de curtir a vida. Sorrir. Celebrar. Lutar. Amadurecer. Viver. E de ser feliz.

O que é normal?

By |2019-04-04T17:58:09-03:00abril 8th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , |

Logo que comecei a usar cadeira de rodas, tinha muita vergonha de estar sendo conduzida por outra pessoa e de não poder caminhar com minhas próprias pernas (mesmo que a culpa por eu ser cadeirante não fosse minha). Foi uma mudança radical na minha vida. Tirava fotografias onde aparecia a cadeira e antes de publicar eu cortava as fotos para que ninguém percebesse este “pequeno” detalhe.

Com o passar do tempo e dos anos fui me adaptando a mais esta nova realidade na minha vida. Aprendo muito com todas as coisas que acontecem comigo. E tenho certeza que eu não seria a pessoa que sou hoje se eu fosse digamos “normal”.

Acho que tudo quando é novo causa certa estranheza nos outros, mas principalmente em nós mesmos. Depois a gente se acostuma, porque “o que não tem remédio, remediado está”. O jeito é seguir a vida sem ter vergonha de ser o que você é.

Jamais se restrinja às regras, tabus, preceitos e convenções de uma sociedade que se diz normal. Se for necessário para que você seja feliz, quebre-os. Em certas ocasiões o melhor que temos para fazer é abstrair. Sempre sendo nós mesmos. Porque normal mesmo é quem possui a felicidade sem ligar para o que os outros pensam.

Todos nós temos limitações

By |2019-03-22T14:41:12-03:00março 19th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , |

Quando eu saio para me divertir, muitas pessoas queridas e carinhosas vêm falar comigo. Recebo palavras de estímulo, força e carinho: “você é guerreira”; “estou muito feliz por ver você aqui”; “vendo você tão alegre eu me dou conta de como eu reclamo por bobagens”. Estas são algumas das frases que eu escuto por essas minhas andanças. O que me deixa imensamente feliz de escutar palavras tão sinceras que em certos momentos vem acompanhada de lágrimas.

Porém, também vejo muitos olhares preconceituosos e pessoas rindo… Como se eu não tivesse direito de sair de casa e me divertir. Infelizmente, essas situações acontecem há muito tempo, então, já estou blindada e acostumada com esses comportamentos um tanto provincianos. No começo me aborrecia muito, às vezes eu até chorava. Hoje em dia eu tenho muita pena das pessoas que pensam desta forma, não deixo de sair e nem me atingir. Ficar em casa olhando a televisão, deixando minha vida passar por ter limitações e ser cadeirante não é a maneira que eu gosto de viver. Confesso que a alguns anos eu tinha muita vontade de sair e dar minha cara a tapa. Em contraponto, hoje em dia eu mando um “foda-se” bem grande mentalmente e sigo lindamente o baile da minha vida.

O que me deixa realmente preocupada é que já estamos em pleno século XXI e, na minha concepção, era para nossa sociedade estar mais evoluída em tudo que diz respeito a palavra “preconceito”. Em tempos, onde fala-se tanto sobre inclusão social, era

Conselhos

By |2019-02-15T15:07:59-02:00fevereiro 15th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , |

O meu conselho é seja feliz. Apesar das dificuldades e problemas que a vida te apresentar, seja feliz. Às vezes terá uns obstáculos no meio do caminho. Retire-os da forma que puder e continue sendo feliz.

Pule. Cante. Dance. Brinque. Vibre. Faça o que lhe der prazer. Mas seja sempre feliz.

A vida é muito curta para nos privarmos de coisas que nos deixam bem. Alma leve. Coração em paz.

Se alguém interpretar mal o seu jeito de ser, não dê bola. A principal regra para a gente ser feliz é sermos nós mesmos. Quem não te entende, não te merece.

Curta muito a vida. Nunca esqueça que a única obrigação que temos é de sermos felizes. Jamais perca sua essência. Pois é isso que fará o seu coração bater mais forte.

O meu conselho é: viva a vida com intensidade e por inteiro. E em momento algum se arrependerá do que ousou fazer.

Você merece. Eu mereço. Todos nós merecemos a felicidade.

Evoluir

By |2019-01-23T17:03:56-02:00janeiro 23rd, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , |

Nunca sonhei em ser cadeirante. Tenho certeza que ninguém sonha com isso. Nos últimos dias, tenho prestado muita atenção nas pessoas caminhando na rua. Livremente. Sem ter que pedir para ninguém levá-las. Muitas destas pessoas não fazem noção do quão libertador é poder caminhar sem rumo certo.

Sinto uma saudade imensurável da época que caminhava por aí. Esta vida que eu tenho certamente não foi a que eu sonhei para mim. A vida que eu sonhava era como as das histórias que minha vó contava antes de eu ir dormir. Onde eu era uma adulta totalmente independente, saia com minhas amigas dirigindo meu carro pelas ruas da cidade, fazia faculdade.Como eu amava ouvir e fazia minha vó repetir varias vezes as tais histórias. Certamente eu também sonhava em casar, ter filhos, trabalhar, ter meu dinheiro.

Como costumam dizer “O que você não pode mudar, tem que aceitar”. Vou dizer para vocês que é muito difícil aceitar. Aceitar tantas limitações. Aceitar uma vida totalmente dependente das outras pessoas. Muito difícil, mesmo. Mas, em contrapartida eu tento entender da seguinte maneira. Pensando que Deus quer que eu aprenda. Evolua meu espírito. E estamos aqui exatamente para isso. Evoluir. Às vezes fico me perguntando se eu teria orgulho da pessoa que eu me tornaria se eu caminhasse. A resposta que vem a minha mente é não. Porém sinto muito orgulho do ser humano que venho me tornando e estou buscando incessantemente me tornar. Lembrem-se Deus nunca dá ponto sem nó. E tudo pode

Gratidão

By |2019-01-15T10:53:09-02:00janeiro 15th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , |

Eu aprendi a ter aquele sentimento chamado gratidão por exatamente tudo que acontece comigo o ano passado. Não sei se foi tarde demais. Só sei que eu aprendi. Conseguir agradecer verdadeiramente foi um presente. Pois, tudo na minha vida tornou-se mais fácil de entender e os fatos ocorridos tomaram outra proporção que jamais tinha pensado que conseguiria agir assim. Agradeço pelos momento bons e ruins. Pois, acredito que tudo que acontece na nossa vida são ensinamentos e tem algum propósito. Como tudo fica mais leve, os instantes ruins já não possui mais todo aquele fardo que gostamos tanto de reclamar e nos vitimizar. 

Eu agradeço sempre quando eu lembro, o que não acontece todos os dias. Aaaaahhh! Eu sei, eu sei que deveria ser diariamente. Mas, ontem agradeci varias vezes. Enquanto eu olhava as pessoas correndo, andando de bicicleta, crianças brincando. Eu estava ali agradecendo pela brisa que amenizava meu calor, pela música que estava ouvindo,por estar em um lugar tão lindo, pela grama verdinho que eu estava deitada e acolhia o meu corpo de modo que eu conseguia me fazer sentir parte daquela natureza magnífica. Pela companhia da minha mãe, do Simbinha, da minha secretária. Por estar me divertindo, rindo, brincando. Por poder enxergar as belezas da vida de uma concepção totalmente diferente. Que me faz um ser humano muito mais feliz. Obrigada! Gratidão! Namastê!

Ballet

By |2018-12-04T14:47:38-02:00dezembro 4th, 2018|Categories: Reflexões|Tags: , |

Todos nós temos muitas lembranças dentro do nosso coração. Às vezes elas são boas, outras nem tanto. Também possuímos aquelas que tem algo a nos dizer, ou seja, ensinamentos. Esses dias fui passear no shopping e por acaso parei bem na frente de uma loja infantil que dentre muitas coisas, vendia roupas de ballet. O que fez com que eu adentrasse no meu baú de memórias e recordações. Nos minutos que ali fiquei observando as sapatilhas e saias, comecei a recordar de uma época muito longínqua, onde eu fazia aulas de ballet por orientação da minha neuropediatra (para que eu tivesse mais coordenação motora e equilíbrio). Eu deveria ter uns quatro anos, morava em Itapiranga (Santa Catarina). Então, fui escolher meu uniforme para minha nova atividade. Eu queria tudo cor-de-rosa, inclusive até os dias atuais é uma das minhas cores favoritas. Me mudei para outra cidade e comecei as aulas novamente. Um dia que parecia ser normal como qualquer outro, foi totalmente atípico na minha vida: a professora fez uma prova surpresa dos passos de ballet. Eu estava bem despreocupada aguardando minha nota, foi quando eu escutei: “Fernanda, sua nota é zero.” Nossa! Me deu uma imensa vontade de chorar e sair correndo daquele lugar. Imagina a vergonha para uma criança. Além da minha vexaminosa situação, tive que olhar para o rostinho das minhas coleguinhas e ver quase todas rindo de mim (o que eu super entendo hoje em dia, pois crianças são crianças). Mas naquele momento, eu queria mais

Saudades

By |2018-11-27T13:35:17-02:00novembro 27th, 2018|Categories: Reflexões|Tags: |

Faz falta alguém que sinta saudades de verdade, saudades “fakes” são tão comuns ultimamente. E essa palavra que possui oito letras para mim é tão intensa e verdadeira. Saudade é um sentimento estranho, que às vezes nos faz sorrir, outras nos faz chorar. Existem músicas, lugares, cheiros, roupas que nos fazem sentir saudades e nada nesse momento de introspecção total minimiza nossas lembranças. Saudades de quem fala o que sente sem constranger o coração nem alma de alguém. Saudades de quem consegue tocar o coração com simples palavras e atitudes. Saudades de quem sente saudades sem precisar esperar amanhecer. Mas não dá para viver só do passado e no passado. Temos que seguir em frente. Ter novas lembranças, sensações, companhias, ir a novos lugares. Em certos momentos temos que sufocá-la, parar de alimentá-la, pois nem sempre nos faz bem. Sentir saudades é normal. O que não podemos é deixar que ela penetre dentro das nossas entranhas e passemos a viver de saudades. Para isso não acontecer, o melhor a fazer é abrir a janela do nosso coração e olhar para nosso presente com sabedoria, e criar um futuro com alegria e esperança buscando novas lembranças que aquecerão nossos dias e daqui algum tempo irão tornar-se saudades. Permita-se sentir saudades, porém não deixe com que ela faça parte do seu cotidiano. Saudades… Só isso e mais nada!