Para Sempre Bibi

Em um início de ano trágico, o teatro não deixou de ser atingido por essa onda de má sorte que assombra o Brasil nesse momento.

Foi-se Bibi Ferreira, dia 13 de fevereiro. Foi-se Bibi, de forma natural, porém dolorosa. O Brasil perde mais um talento e um exemplo. Bibi deveria ser considerada patrimônio cultural do nosso País e ser guardado como o bem mais precioso de origem brasileira.

Nascida Abigail Izquierdo Ferreira, Bibi, era filha de um dos maiores nomes do Teatro Brasileiro, o também ator Procópio Ferreira, e da bailarina Aída Izquierdo. Isso fez que Bibi nascesse no palco e estreou no teatro com 20 dias de vida em “Manhã de Sol”.

Mas a vida de Bibi não foi exclusivamente do teatro como conhecemos, era uma atriz multimídia: passou pelo cinema, por programas de TV, pela música e pelo mercado de shows. Porém, em momento algum, deixou sua verdadeira paixão de lado: o teatro e o público.

Dentre os trabalhos de Bibi temos o dever de destacar Gota d’Agua, peça escrita por Chico Buarque durante os Anos de Chumbo e protagonizado por Bibi. A beleza e intensidade do texto fez com que Bibi se afastasse de sua carreira nos palcos por longos oito anos até que foi contagiada pela obra que contava a história da cantora francesa Edith Piaf, encenado no Brasil e em Portugal.

Além disso, foi Bibi que inaugurou a TV Excelsior com o programa de TV “Brasil 60” e trazia aos olhos da televisão os grandes nomes do teatro.

Mas foi com nos musicais que encontrei Bibi. Mesmo que não ela propriamente dita, mas a conheci na pele de Marília Pera (outra atriz de quem temos que nos orgulhar) e na pele de Sara Sarres. “Alô Dolly” e “O Homem de La Mancha” são espetáculos incríveis e que tiveram remakes dirigidos por Miguel Falabella.

Bibi vai fazer uma falta imensurável. Mas uma falta que se fará presente em casa cena vista nos teatros. Qualquer cena terá a essência de Bibi pois ela é um dos alicerces do teatro brasileiro e da história da cultura de nosso País.

Obrigada, Bibi!

By |2019-02-26T09:01:34-03:00fevereiro 26th, 2019|Categories: Cultura|Tags: , , |0 Comments

About the Author:

Ingrid Grandini
20 anos. Paulistana. Estudante de Direito da UFRJ. Futura atriz profissional. Amante da arte, principalmente, brasileira. Tento trazer cada vez mais pessoas para perto da nossa cultura que é tão rica e ao mesmo tempo, subestimada.