Olá, galera do blog! Estamos no mês de outubro, mês que lembramos das campanhas de prevenção ao câncer de mama. Mas o texto de hoje é para mostrar que os nossos pets também sofrem com essa enfermidade. A doença afeta cerca de 50% dos animais de sexo feminino e, por se tratar de um assunto pouco falado, nos ressalta a necessidade de conscientizar os donos sobre a importância dos exames periódicos e do diagnóstico precoce da doença, que, assim como nos humanos, pode aumentar em até 90% as chances de cura.

Procure um Médico Veterinário para lhe orientar sobre o diagnóstico precoce e como podemos evitar ou diminuir o aparecimento dessa doença. Castrando as fêmeas antes do primeiro cio, por exemplo, diminuímos as chances do aparecimento do câncer de mama. Já as chances desenvolvimento da doença sobe de 0,5% para 26% em animais castrados somente depois do segundo cio.

O tratamento é sempre cirúrgico, onde é feita a retirada, parcial ou total, da mama afetada. Em seguida, um exame histopatológico do nódulo removido é realizado para definir se o pet vai precisar ou não de quimioterapia.

Médicos veterinários já apontam a incidência de nódulos malignos nas mamas de cadelas em 50% das pacientes atendidas, já nas gatas o número sobe para 80%. Nestes casos, é recomendado a retirada de todos os nódulos de mama para avaliação histopatológica e diagnóstico tumoral.

O tão temido tratamento de quimioterapia, com seus efeitos colaterais, deve ser realizado sem medo. Muitas vezes os Pets não desenvolvem efeitos colaterais como os dos seres humanos, embora não estejam livres de tais reações!

Converse com seu Médico Veterinário sobre os tratamentos e diagnóstico para aumentar o bem-estar do seu pet.