O amor é como uma dádiva divina. Sinônimo de confiança, respeito, atenção, carinho e solidariedade. Creio eu que só se ama uma vez na vida e quando esse amor chegar, ficará pra sempre. Por mais que o tempo passe, nunca deixará de existir, por mais que estejamos longe ou não vejamos a pessoa amada com tanta frequência; se é amor verdadeiro não existe nada que apague. Sempre existirá amor pra recomeçar, mesmo que dificuldades apareçam, brigas existirem, falta de dinheiro, o amor ainda será mútuo. A cumplicidade, está nunca deixará de existir.

Só ama de verdade quem tem coração livre e liberto, quem não guarda mágoa nem rancor, onde todos os sentimentos sentidos chamam-se amor. No coração de quem não tem espaço para sentidos reversos, para mesquinharias, ou sentimentos vazios. Também existe muito amor no coração de quem ajuda o próximo, não somente com doações em dinheiro. Mas aqueles que também emprestam seus ouvidos, seu ombro, para as pessoas desabafarem e chorarem, está entrega ao nosso semelhante também é uma forma de amor.

Cada pessoa tem seu jeito de amar, tem pessoas que não conseguem demonstrar o quanto nos amam e são nos pequenos cuidados, nas pequenas coisas que demonstram seu sentimento. E com isso aprendemos a “escutar” e interpretar nos pequenos detalhes estas três palavrinhas que gostamos tanto de ouvir “eu te amo” nas entrelinhas destas expressões “cuide-se, vá com cuidado, quando chegar me liga …”

Falando em amor ele também existe no nosso cotidiano e está por toda a parte. Como por exemplo, as comidas mais saborosas são aquelas feitas com amor e simplicidade. As orações e preces mais belas são aquelas que vêm do fundo do coração e da alma. A melhor maneira de viver a vida é cultivando o bem, o amor, semeando a paz, a bondade e a simplicidade. As frases que mais gostamos de ouvir são aquelas que contém as palavras mais simples vindas diretamente do coração .

Esses dias fui ao cinema em Santa Maria e escolhi um filme que não era famoso, não conhecia nenhum dos atores e ainda era de ficção (gênero o qual não costumo assistir). O nome era “Sétima Onda” e falava sobre extraterrestres que queriam exterminar a raça humana. E o único meio de nos salvar de sermos extintos do nosso planeta no filme era o amor. Achei a mensagem do filme linda e não muito diferente do que estamos vivendo no atual momento.

Então, mais amor e união por favor!!! Estamos vivendo momentos de profundas mudanças em nossa sociedade, vários questionamentos e posições defendidos de formas divergentes que nos fazem pensar o mundo que deixaremos para nossos descendentes. Vivemos numa guerra sem fim por aqueles que querem se manter no poder econômico e também por sofrer pressões de todos os tipos por radicais que se acham donos da verdade e com isso fazendo sofrer sem nenhum arrependimento e tornando um caos a vida de milhares de pessoas. Inocentes sucumbindo na ganância de muitos! Repeti a palavra “amor” treze vezes em meu texto para que se reafirme na décima quarta: “mais amor e sem guerras, por favor!”