O poder da gentileza

Dia desses fui tomar chocolate quente em um estabelecimento da cidade em que moro. Logo em seguida chegaram três adolescentes e sentaram-se na mesa ao lado da minha. Deste momento em diante comecei a recordar que eu era assim na idade delas. Eu e minhas amigas nos reuníamos nas lancherias da cidade para tomar sorvete, sundae, colegial, banana split, chocolate quente. E obviamente falar nos meninos que a gente gostava, com elas não foi diferente. Entre os diversos assuntos que as meninas conversavam, 100% eram sobre garotos. Coisas da idade! Nós também éramos assim (risos)! As meninas tiravam várias fotos, de vários ângulos para postar nas suas redes sociais.

Bom, na época em que eu deveria ter a mesma idade delas não existia celular, muito menos celular com câmera. Mas nós tirávamos fotos nas nossas câmeras fotográficas e tínhamos que esperar mais ou menos uma semana até as fotografias serem reveladas. A nossa ansiedade para ver estas fotos prontas era algo descomunal. Como também não existia redes sociais eu e minhas amigas guardávamos estes registros como recordação daquele momento. Mas, o que verdadeiramente me surpreendeu nas três meninas foi que elas foram muito gentis comigo, não me olharam como um “ser de outro planeta”. E ainda quando perguntei qual era o nome do chocolate quente que elas estavam saboreando, as três mais que rapidamente me ofereçam os seus para que eu pudesse experimentar. Saí dali muito feliz. Com a certeza que a gentileza e pessoas desprovidas de preconceitos tornarão o mundo que habitamos um lugar melhor de se viver. Não sei o nome delas, não sei em que lugar moram, filhas de quem elas são, qual o colégio que elas estudam. Porque tudo isso é de grande importância para algumas pessoas. Felizmente para mim não!

Espero reencontrá-las em breve para poder dizer o quanto gostei de vocês! Estes pequenos detalhes que acontecem no meu cotidiano é que realmente me enriquecem como ser humano me fazem feliz, sentir gigantesca e me mostram um mundo cheio de expectativas e esperança.

By |2019-07-02T11:18:02-03:00julho 3rd, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , |0 Comments

About the Author:

Fernanda Pinto
É portadora de uma doença degenerativa que a impede de controlar seus movimentos, mas desde pequena aprendeu a ir atrás dos seus sonhos. Apesar de ficar sem caminhar durante alguns meses e ter que passar por sete cirurgias, onde se sentiu um pouco melhor, enxergou na escrita uma forma de expressar seus pensamentos, sentimentos e sobre como a doença afetava a si e sua família.