Psicopedagogia, ensinar e aprender

O assunto de hoje será a Psicopedagogia, uma especialidade da Psicologia e da Pedagogia.

Nas últimas décadas, a Psicopedagogia surgiu para cuidar dos problemas de aprendizagens e para compreender esse processo no sistema de ensino brasileiro, propondo ações preventivas com novas alternativas de ações voltadas para a melhoria da prática pedagógica disseminada nas escolas. A partir de seu surgimento, a Psicopedagogia tem um enfoque preventivo que considera o objeto de estudo da Psicopedagogia o ser humano em desenvolvimento, enquanto educável. Posteriormente, simultaneamente nasce a prática terapêutica, que intervém no processo de ensino aprendizagem, na avaliação e no diagnóstico de possíveis dificuldades patológicas educacionais.

BOSSA (1991) defende que a Psicopedagogia estuda o ato de aprender e ensinar, levando sempre em conta as realidades internas e externas da aprendizagem, tomadas em conjunto. E, mais procurando estudar a construção do conhecimento em toda a sua complexidade, procurando colocar em pé de igualdade os aspectos cognitivos, afetivos e sociais que lhe estão implícitos.

O psicopedagogo trabalha levando em conta a subjetividade do paciente, as questões que impedem a aprendizagem. Ressignificando conceitos, defesas e reaprendendo a aprender. Promovendo o crescimento moral, a constituição da identidade, o desenvolvimento da autonomia, potencializar suas habilidades e suas inteligências múltiplas.

Conforme fundamentam OLIVEIRA e BOSSA (1997), o trabalho psicopedagógico é orientado pelo processo ensino-aprendizagem, visando favorecer a apropriação do conhecimento no ser humano, ao longo de sua evolução. Esse enfoque terapêutico desenvolve-se na forma individual ou grupal, na área de saúde mental e da educação.

Por fim, o processo de ensino é algo vivo, devendo ser considerado o indivíduo como único, construído a partir de sua interação social, da cultura (em seu contexto histórico), de sua estrutura psíquica, do ambiente e da família que está inserido. São inúmeras variáveis para compreender o processo de aprendizagem que acarreta no reconhecimento da sua existência.

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina” (Cora Coralina).

Até a próxima,
Thelma.

About the Author:

Thelma Domingues
Psicóloga (CRP - 05/56218) e Psicopedagoga clínica, graduada em Psicologia e Administração de Empresas, especialista em Psicopedagogia Clínica e Psicopedagogia Institucional e Educação Especial. No Rosa Valente, escreve temas relacionados à sua prática e outros assuntos do cotidiano.