Quando preciso de força

By |2019-04-22T08:56:12-03:00abril 22nd, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , |

Sempre quando preciso de força, encontro nos meus pais, Vania Maria Dotto Alves e Boaventura Pinto, e nas minhas duas irmãs, Carla Pinto e Bruna Pinto.

Quando estou desmotivada, pensando em desistir da minha luta, quando a vida parece sem graça. Eles me mostram que ela é muito melhor que parece ser, me levantam toda vez que caio, ou até mesmo antes de eu tropeçar já estão me aparando!

Com eles eu aprendo a me renovar, a me reinventar, a me reencontrar, a acreditar em mim novamente e em sentimentos, que já estavam completamente desacreditados!

Tudo que sou, a minha persistência, a forma como vejo a vida devo a minha família e alguns poucos e bons amigos!

Em suas palavras encontro a esperança que sempre o melhor ainda está por vir!

Amo vocês mais que tudo!!

A vida

By |2019-04-04T18:11:17-03:00abril 12th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , , , |

Em novembro do ano passado completei trinta e nove anos. Conversando com minha psicóloga, disse que queria voltar a ter meus 14, 15, 16 anos. Ela me perguntou o motivo pelo qual eu gostaria que isso acontecesse. Eu falei de alguns aspectos físicos que me incomodam. Sou muito vaidosa. Então, ela me mostrou o outro lado da moeda. Me falando que eu não teria toda a maturidade que possuo atualmente. Nem minha bagagem de vida. E completou dizendo, dentre as muitas coisas que conversamos, que a vida é muito mais que umas ruguinhas que vão aparecendo. Que a vida é muito mais que uns dedos que vão ficando mais tortos com o passar dos anos. Que a vida é muito mais que essas pequenas coisas. Que a vida é as relações que construímos com as pessoas. O amor. A nossa alegria. A nossa maturidade que só adquirimos quando vamos ficando mais velhos.

Eu saí de lá muito pensativa e calada. Pois, para mim está sendo bastante difícil esses quase quarenta. Já estava cheia de neuroses com isso.

Fui dormir pensando em tudo que tínhamos falado naquela tarde. Refleti. Então, decidi superar e ficar feliz por ter meus 39 anos. Foi a atitude mais sábia que poderia ter tomado rsrsrs. Porque a vida é o presente. É o agora. É este instante. E este momento. Eu perderia muito tempo se continuasse me lamentando. Perderia tempo de curtir a vida. Sorrir. Celebrar. Lutar. Amadurecer. Viver. E de ser feliz.