Psicopedagogia, ensinar e aprender

By |2019-05-03T09:05:09-03:00maio 22nd, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , |

O assunto de hoje será a Psicopedagogia, uma especialidade da Psicologia e da Pedagogia.

Nas últimas décadas, a Psicopedagogia surgiu para cuidar dos problemas de aprendizagens e para compreender esse processo no sistema de ensino brasileiro, propondo ações preventivas com novas alternativas de ações voltadas para a melhoria da prática pedagógica disseminada nas escolas. A partir de seu surgimento, a Psicopedagogia tem um enfoque preventivo que considera o objeto de estudo da Psicopedagogia o ser humano em desenvolvimento, enquanto educável. Posteriormente, simultaneamente nasce a prática terapêutica, que intervém no processo de ensino aprendizagem, na avaliação e no diagnóstico de possíveis dificuldades patológicas educacionais.

BOSSA (1991) defende que a Psicopedagogia estuda o ato de aprender e ensinar, levando sempre em conta as realidades internas e externas da aprendizagem, tomadas em conjunto. E, mais procurando estudar a construção do conhecimento em toda a sua complexidade, procurando colocar em pé de igualdade os aspectos cognitivos, afetivos e sociais que lhe estão implícitos.

O psicopedagogo trabalha levando em conta a subjetividade do paciente, as questões que impedem a aprendizagem. Ressignificando conceitos, defesas e reaprendendo a aprender. Promovendo o crescimento moral, a constituição da identidade, o desenvolvimento da autonomia, potencializar suas habilidades e suas inteligências múltiplas.

Conforme fundamentam OLIVEIRA e BOSSA (1997), o trabalho psicopedagógico é orientado pelo processo ensino-aprendizagem, visando favorecer a apropriação do conhecimento no ser humano, ao longo de sua evolução. Esse enfoque terapêutico desenvolve-se na forma individual ou grupal, na área de saúde mental e da educação.

Por fim, o processo de ensino é algo vivo,

Aprender

By |2019-04-29T14:45:24-03:00abril 30th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , |

Olá, meus queridos leitores! Hoje respondi a uma pergunta e gostaria que você também respondesse: o que você gostaria muito de aprender?

Eu sou uma aprendente com sede! Sede de aprender inglês, de tirar meu sotaque, de falar bem em público, de cantar, pilotar avião, de dirigir carreta, de dançar, me maquiar, a decorar ambientes, a malhar, comer saudavelmente e coisas fáceis como um dom, uma vocação.

Eu sou uma aprendente ansiosa! Ansiosa por apender a sorrir mais, a entender o outro, a não julgar, a acolher, quais são as coisas importantes da vida, a educar melhor meus filhos, a ser sábia, a ter mais intimidade com Deus, a compreender as diferenças, a ter mansidão, saber que todas as coisas boas e ruins passam e ser organizada.

Eu sou uma aprendente que sonha!

Sonha em aprender que as pessoas são muito mais do que consigo enxergar, que cada um tem o seu jeito e maneira de expressar seu amor e suas limitações, a amar apesar de, a ser livre, encontrar a paz, a superar meus traumas, meus medos, a curtir e viajar mais com minha família.

Eu sou uma aprendente que acredita!

Acredita que pode aprender a ser feliz, ser inspiração, fazer o bem, ajudar, sentir a alegria e a dor do outro, abraçar mais, ensinar com o coração, a ser exemplo na minha profissão: “as vezes curar, geralmente aliviar e sempre confortar”.

E finalmente, não quero parar de aprender!

Aprender é vida,
Vida que pulsa,
Vida que se reinventa,
Vida que se confirma,
Vida que muda,
Vida que se movimenta,
Aprender, alimenta o