O que é normal?

By |2019-04-04T17:58:09-03:00abril 8th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , |

Logo que comecei a usar cadeira de rodas, tinha muita vergonha de estar sendo conduzida por outra pessoa e de não poder caminhar com minhas próprias pernas (mesmo que a culpa por eu ser cadeirante não fosse minha). Foi uma mudança radical na minha vida. Tirava fotografias onde aparecia a cadeira e antes de publicar eu cortava as fotos para que ninguém percebesse este “pequeno” detalhe.

Com o passar do tempo e dos anos fui me adaptando a mais esta nova realidade na minha vida. Aprendo muito com todas as coisas que acontecem comigo. E tenho certeza que eu não seria a pessoa que sou hoje se eu fosse digamos “normal”.

Acho que tudo quando é novo causa certa estranheza nos outros, mas principalmente em nós mesmos. Depois a gente se acostuma, porque “o que não tem remédio, remediado está”. O jeito é seguir a vida sem ter vergonha de ser o que você é.

Jamais se restrinja às regras, tabus, preceitos e convenções de uma sociedade que se diz normal. Se for necessário para que você seja feliz, quebre-os. Em certas ocasiões o melhor que temos para fazer é abstrair. Sempre sendo nós mesmos. Porque normal mesmo é quem possui a felicidade sem ligar para o que os outros pensam.

Todos nós temos limitações

By |2019-03-22T14:41:12-03:00março 19th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , |

Quando eu saio para me divertir, muitas pessoas queridas e carinhosas vêm falar comigo. Recebo palavras de estímulo, força e carinho: “você é guerreira”; “estou muito feliz por ver você aqui”; “vendo você tão alegre eu me dou conta de como eu reclamo por bobagens”. Estas são algumas das frases que eu escuto por essas minhas andanças. O que me deixa imensamente feliz de escutar palavras tão sinceras que em certos momentos vem acompanhada de lágrimas.

Porém, também vejo muitos olhares preconceituosos e pessoas rindo… Como se eu não tivesse direito de sair de casa e me divertir. Infelizmente, essas situações acontecem há muito tempo, então, já estou blindada e acostumada com esses comportamentos um tanto provincianos. No começo me aborrecia muito, às vezes eu até chorava. Hoje em dia eu tenho muita pena das pessoas que pensam desta forma, não deixo de sair e nem me atingir. Ficar em casa olhando a televisão, deixando minha vida passar por ter limitações e ser cadeirante não é a maneira que eu gosto de viver. Confesso que a alguns anos eu tinha muita vontade de sair e dar minha cara a tapa. Em contraponto, hoje em dia eu mando um “foda-se” bem grande mentalmente e sigo lindamente o baile da minha vida.

O que me deixa realmente preocupada é que já estamos em pleno século XXI e, na minha concepção, era para nossa sociedade estar mais evoluída em tudo que diz respeito a palavra “preconceito”. Em tempos, onde fala-se tanto sobre inclusão social, era

Treinamento de Força e Osteoporose

By |2017-12-14T10:17:18-03:00dezembro 15th, 2017|Categories: Esportes|Tags: , , , , , |

A Osteoporose é uma doença causada pela perda da massa óssea, enfraquecendo e nos deixando mais vulneráveis a fraturas. A grande maioria dessas lesões são ocasionadas por quedas que normalmente acontecem nas ruas ou dentro de casa. Existem várias maneiras de manter em dia a saúde os nossos ossos, ingerir alimentos ricos em cálcio é uma delas. Leite ou derivados, verduras com pigmentação verde escuro e tomar banho de sol podem ajudar nesse processo.
Existe ainda uma outra forma de prevenção, a prática da atividade física regular. Nos casos de osteogenia, início da perda da massa óssea, os exercícios podem evitar o avanço da doença, ajudando e auxiliando em um melhor movimento ao caminhar. Com isso é possível diminuir a incidência de quedas e consequentemente das fraturas.

Rosa na Literatura

By |2017-11-07T09:23:26-03:00novembro 10th, 2017|Categories: Reflexões|Tags: , , , , |

Esse post não é crítico, nem opinativo, é pura exposição para uma eventual apreciação de vocês, leitores.

 

Guimarães ROSA

Mineiro, nascido em 27 de junho de 1908, João Guimarães Rosa foi um dos maiores escritores do nosso País, além de diplomata, novelista, contista e médico. Famoso, entre outros motivos, por ter suas obras ambientadas no sertão brasileiro, trouxe para a nossa literatura inovações na linguagem escrita que contou com a influência do coloquialismo falado e regional. Além disso, sua escrita era repleta de vocábulos criados por ele mesmo através de invenções e intervenções sintáticas e semânticas das palavras.

Curiosamente, foi criado o livro “Dicionário João Guimarães Rosa: uma Odisseia Brasileira”. Faleceu pouco tempo depois de assumir a cadeira nº 2 da Academia Brasileira de Letras – após diversas recusas.

É difícil listar as principais obras de Guimarães Rosa, visto a importância imensurável dele para a nossa literatura, mas cito aqui Sagarana (1946), Grande Sertão: Veredas (1956) e Estas Estórias (1969 – publicação póstuma).

 

A ROSA do povo

“A Rosa do Povo” é um dos livros de poesia mais lindos que já li. Escrito pelo modernista Carlos Drummond de Andrade (outro mineiro), a obra segue uma linha temporal que vai de 1943 até 1945. Logo, como podemos denotar, ele percorre os últimos anos da Segunda Guerra Mundial e por isso é tido como um reflexo da época sombria do mundo em que vivamos, transmitindo os sentimentos, as dores e angústias do fim desse período. Dizem os literários que, no livro, a “rosa” indica o sentimento e a