Dia das Mães

By |2019-05-07T16:55:02-03:00maio 9th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , |

À minha mãe,

Uma singela homenagem à minha MÃE e todas as mulheres que de alguma forma são mães também. Que esse dia seja lembrado pela importância de uma mãe na vida de seu(s) filho(s).

Fiz uma brincadeira com a junção de algumas letras de música (fica aqui o meu agradecimento aos compositores e cantores) que me afetam, com o intuito de emocionar a todos neste dia simbólico e tão especial, como no dia do nascimento de um filho! Momento único e inesquecível.

“Amor da minha vida, daqui até a eternidade… Nossos destinos foram traçados nos maternidade…”

Mãe, pra você guardei o amor, que eu nunca soube dar, o amor que tive e vi sem me deixar sentir, sem conseguir provar. Mãe, pra você guardei o amor, que sempre quis mostrar, o amor que vive em mim, vem visitar.
Mãe, pode ser que daqui algum tempo, haja tempo pra gente ser mais, muito mais que duas grandes amigas, mãe e filha talvez. Mãe, pode crer eu estou bem, eu vou indo, vou tentando, vivendo e pedindo, com loucura pra você renascer.

Mas é preciso ter força, é preciso ter raça, é preciso ter gana sempre. Quem traz no coração essa marca (de ser mãe), possui a estranha mania de ter fé na vida.

Vai tua vida;
Teu caminho é de paz e amor;
A tua vida;
É uma linda canção de amor…
Ah Mãe! Se todos fossem iguais a você, que maravilha viver.

Sonho meu, sonho meu,
Vá buscar quem mora longe, sonho meu…
Vá mostrar essa saudade, sonho meu…
Sonho meu, sonho meu!

Feliz Dia

A mãe de todas as culpas

By |2018-07-31T17:23:09-03:00maio 12th, 2018|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , , , , |

O texto de hoje é sobre ser mãe, este tema é o mais conhecido por todos nós, que somos filhos de uma ou várias mães e uma boa parte de nós, somos as mães do planeta Terra.

Quando as mães se deparam com as dificuldades no desenvolvimento dos filhos, permeiam sentimentos penosos, tais como, o de não ter obtido êxito e competência no desempenho do papel materno e das frustrações decorrentes do que o filho não poderá realizar. A culpa nasce antes do filho, e para entendê-la é importante conhecer o contexto social e cultural na qual mulher está inserida.

Com o nascimento do filho, nasce uma mãe, que gera impacto na vida da mulher nos aspectos emocional, financeiro, cotidiano e psíquico

O papel da maternidade no passado foi construído como o ideal máximo da mulher, caminho da plenitude e realização da feminilidade, associado a um sentido de renúncia e sacrifícios prazerosos. Por outro lado, atualmente, a mulher passa a ser vista como um indivíduo e não meramente como “mulher-natureza”, ela ingressou no mercado de trabalho e agora é dela a escolha da reprodução com os métodos contraceptivos.

Porém, as expectativas sociais não mudaram, a mãe deve ser perfeita e compreensiva, dando aos filhos um amor incondicional. Assim, só temos uma forma de ser mãe, um estilo de maternidade exclusiva, aprisionada, constituído no seio da família moderna.

Segue exemplos de como a mídia determina o papel, a responsabilidade das mães na criação seus filhos e que quando o filho não responde à altura do que

Fala Sério, Mãe!

By |2018-01-22T10:56:08-02:00janeiro 24th, 2018|Categories: Cultura|Tags: , , , , , , , |

Mais um filme brasileiro explodindo nas telas do cinema! Amém! Salve o Cinema BR! Dessa vez Ingrid Guimarães (do sucesso “De Pernas para o Ar”) e Larissa Manoela (de “Meus 15 anos”), ícones de suas gerações, foram unidas pela direção de Pedro Vasconcelos (“Dona Flor e Seus Dois Maridos”) e trouxeram ao cinema um clássico da obra infanto-juvenil brasileira, “Fala Sério, Mãe!”, de Thalita Rebouças.

Eu sou absolutamente incapaz de descrever a minha felicidade ao ver uma obra de Rebouças ganhando uma versão audiovisual. Eu, com meus 20 anos, tive Thalita como nome favorito na minha estante de livro por anos e anos! Eu li (quase) todos. Eu me identificava com todos! Parecia que em cada livro eu estava dentro. Meu primeiro livro dela foi “Tudo por um pop-star” (curiosamente também foi o primeiro livro dela escrito para o público adolescente), transformado em musical em 2012 – tive a honra e o prazer de assistir – e está prestes a estrear no cinema. Eu me identifiquei muito nesse livro pois conta a história de três amigas que fazem de tudo para conseguir um momento ao lado dos ídolos – a banda Slavabody Disco Disco Boys”. Como não é segredo para ninguém eu também faço de tudo para ter um momento ao lado dos meus ídolos.

Enfim, fui crescendo e deixando a leitura de Rebouças de lado. Mas, certamente, ocupa um espaço bem importante da minha vida como leitora. Digamos, fez a minha base junto com Cervantes (do meu amado e idolatrado “Dom