Evoluir

By |2019-01-23T17:03:56-03:00janeiro 23rd, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , |

Nunca sonhei em ser cadeirante. Tenho certeza que ninguém sonha com isso. Nos últimos dias, tenho prestado muita atenção nas pessoas caminhando na rua. Livremente. Sem ter que pedir para ninguém levá-las. Muitas destas pessoas não fazem noção do quão libertador é poder caminhar sem rumo certo.

Sinto uma saudade imensurável da época que caminhava por aí. Esta vida que eu tenho certamente não foi a que eu sonhei para mim. A vida que eu sonhava era como as das histórias que minha vó contava antes de eu ir dormir. Onde eu era uma adulta totalmente independente, saia com minhas amigas dirigindo meu carro pelas ruas da cidade, fazia faculdade.Como eu amava ouvir e fazia minha vó repetir varias vezes as tais histórias. Certamente eu também sonhava em casar, ter filhos, trabalhar, ter meu dinheiro.

Como costumam dizer “O que você não pode mudar, tem que aceitar”. Vou dizer para vocês que é muito difícil aceitar. Aceitar tantas limitações. Aceitar uma vida totalmente dependente das outras pessoas. Muito difícil, mesmo. Mas, em contrapartida eu tento entender da seguinte maneira. Pensando que Deus quer que eu aprenda. Evolua meu espírito. E estamos aqui exatamente para isso. Evoluir. Às vezes fico me perguntando se eu teria orgulho da pessoa que eu me tornaria se eu caminhasse. A resposta que vem a minha mente é não. Porém sinto muito orgulho do ser humano que venho me tornando e estou buscando incessantemente me tornar. Lembrem-se Deus nunca dá ponto sem nó. E tudo pode

Gratidão

By |2019-01-15T10:53:09-03:00janeiro 15th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , |

Eu aprendi a ter aquele sentimento chamado gratidão por exatamente tudo que acontece comigo o ano passado. Não sei se foi tarde demais. Só sei que eu aprendi. Conseguir agradecer verdadeiramente foi um presente. Pois, tudo na minha vida tornou-se mais fácil de entender e os fatos ocorridos tomaram outra proporção que jamais tinha pensado que conseguiria agir assim. Agradeço pelos momento bons e ruins. Pois, acredito que tudo que acontece na nossa vida são ensinamentos e tem algum propósito. Como tudo fica mais leve, os instantes ruins já não possui mais todo aquele fardo que gostamos tanto de reclamar e nos vitimizar. 

Eu agradeço sempre quando eu lembro, o que não acontece todos os dias. Aaaaahhh! Eu sei, eu sei que deveria ser diariamente. Mas, ontem agradeci varias vezes. Enquanto eu olhava as pessoas correndo, andando de bicicleta, crianças brincando. Eu estava ali agradecendo pela brisa que amenizava meu calor, pela música que estava ouvindo,por estar em um lugar tão lindo, pela grama verdinho que eu estava deitada e acolhia o meu corpo de modo que eu conseguia me fazer sentir parte daquela natureza magnífica. Pela companhia da minha mãe, do Simbinha, da minha secretária. Por estar me divertindo, rindo, brincando. Por poder enxergar as belezas da vida de uma concepção totalmente diferente. Que me faz um ser humano muito mais feliz. Obrigada! Gratidão! Namastê!

Ballet

By |2018-12-04T14:47:38-03:00dezembro 4th, 2018|Categories: Reflexões|Tags: , |

Todos nós temos muitas lembranças dentro do nosso coração. Às vezes elas são boas, outras nem tanto. Também possuímos aquelas que tem algo a nos dizer, ou seja, ensinamentos. Esses dias fui passear no shopping e por acaso parei bem na frente de uma loja infantil que dentre muitas coisas, vendia roupas de ballet. O que fez com que eu adentrasse no meu baú de memórias e recordações. Nos minutos que ali fiquei observando as sapatilhas e saias, comecei a recordar de uma época muito longínqua, onde eu fazia aulas de ballet por orientação da minha neuropediatra (para que eu tivesse mais coordenação motora e equilíbrio). Eu deveria ter uns quatro anos, morava em Itapiranga (Santa Catarina). Então, fui escolher meu uniforme para minha nova atividade. Eu queria tudo cor-de-rosa, inclusive até os dias atuais é uma das minhas cores favoritas. Me mudei para outra cidade e comecei as aulas novamente. Um dia que parecia ser normal como qualquer outro, foi totalmente atípico na minha vida: a professora fez uma prova surpresa dos passos de ballet. Eu estava bem despreocupada aguardando minha nota, foi quando eu escutei: “Fernanda, sua nota é zero.” Nossa! Me deu uma imensa vontade de chorar e sair correndo daquele lugar. Imagina a vergonha para uma criança. Além da minha vexaminosa situação, tive que olhar para o rostinho das minhas coleguinhas e ver quase todas rindo de mim (o que eu super entendo hoje em dia, pois crianças são crianças). Mas naquele momento, eu queria mais