Do Pastel ao Limão… Contemplando pessoas!

Por |2017-12-21T10:31:46-02:00dezembro 27th, 2017|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , |

Olá, pessoas lindas que acessam o Blog Rosa Valente! Pergunto, quem já foi em uma feira livre na sua cidade ou bairro? Aquela que expõe frutas, legumes, verduras, flores, frango, peixe e coisas que só encontramos lá. Acho que muita gente!

Pois é, em dos meus dias livres, resolvi comer aquele pastel de queijo gostoso com caldo de cana em uma das feiras livres no meu bairro, sem me preocupar em estar vestida formalmente, sem culpa pelos quilinhos a mais, sem maquiagem, sem ligar para o esmalte na unha que descascou ou com o cabelo e sem celular. Venho compartilhar com vocês essa experiência, um olhar que surgiu depois de ter frequentado inúmeras vezes o mesmo ambiente desde criança. Agora me surpreendo como frequentei um lugar sem percebê-lo, no automático. Mas afinal, o que tem de especial em uma feira de rua?

Enquanto comia meu pastel, olhava as pessoas que circulavam e de repente ouço um feirante falar alto com os outros com um tom de voz agradável e descontraído:

“gente, chegou à concorrência desleal!”. Curiosa, me virei para olhar. Era um rapaz sem pernas, amputado quase na altura dos quadris que se deslocava em cima de um carrinho de rolimã, meio que adaptado para que ele pudesse ficar com mobilidade suficiente para vender seus saquinhos de limão pendurados em seu pescoço. O mesmo rapaz ainda carregava uma plaquinha de papelão onde estava escrito limão a jato. Ele gritava “olha o limão verdinho e levado até você freguesa! Aqui a barraca vai até

Quem Sou Eu?

Por |2018-05-02T17:36:01-03:00outubro 23rd, 2017|Categories: Reflexões|Tags: , , , |

Meus erros
Meus acertos
Meus sentimentos
Minha angústia
Meu semblante de dor ou alegria
Minha estupidez ou minha delicadeza
Minha vontade de viver a vida de uma maneira que não posso
As pessoas que beijei, abracei ou as que eu amei
As pessoas que eu amo e para sempre vou amar
Meus momentos, meus instantes
Meus pais, amigos, irmãs ou o meu filho peludinho
A minha solidão
Minha impotência diante de tudo que eu gostaria de realizar
Meus medos
Os sentimentos que se escondem por trás da minha vaidade e aparente futilidade
Meu rosto maquiado ou minha cara limpa do dia a dia
Minha sorte
Meu azar
Meu resgate permanente
Meus instintos mais primitivos
Meu amor
Minha culpa ou meu perdão
Meu sorriso ou meu choro
O tempo que eu perdi e tento recuperar muitas vezes depressa demais
O meu voo por entre paisagens que ainda não vi e outras que jamais verei
Minhas interrogações
O cheiro do meu perfume predileto
A minha descompassada esperança em jamais perder a esperança
Aonde se encontra minha tão sonhada e desejada felicidade?
Sei que ela se encontra dentro de mim, mas certas vezes é tão difícil encontrá-la
Tenho certeza de que sou tudo isso e muito mais
Tudo junto e misturado
Tudo a flor da pele, a flor desta esperança que não quer me deixar
Eu tento me reconhecer em meio a um turbilhão de sentimentos e emoções.
Por que a vida é agora.
Em futuro que não sei quando chegará, eu só serei cinzas dentro de um simples “potinho”. ⭐