14. QUATORZE. QUA-TOR-ZE. A-N-O-S.

Por |2018-07-18T09:24:51-03:00julho 18th, 2018|Categories: Moda|Tags: , , |

14 anos foi o tempo de espera que os fãs do Beto Pêra tiveram que esperar para ter uma continuação da história. Claramente não só fãs do Beto, mas da Família Pêra toda. Não é à toa que depois de 5 dias da estreia brasileira de “Os Incríveis 2” a sessão que eu acompanhei estava repleto de (jovens) adultos ansiosos para ver o que ia acontecer com nossos super-heróis depois de serem declarados ilegais. Essas pessoas tinham por volta de seus 10 anos quando assistiram ao primeiro longa-metragem da sequência.

Eu mesma tinha… sete anos! Isso mesmo. SETE ANOS. Em uma conta rápida (não necessariamente fácil) hoje tenho 21 anos. 14 anos é muita espera. Até a ex-criança mais paciente do mundo estava ansiosa. A paixão é tão grande que eu fiz o aniversário de 1 ano do meu irmão caçula ser dos Incríveis – 2013 – (ele era igualzinho o Zezé, seria até hoje, caso o Zezé não continuasse um bebê e ele crescido como toda criança).

Enfim, passados os 14 anos (sei que estou repetindo muito esse número, mas é para deixar bem marcado que foram 14 anos), chegou às telonas dos cinemas o tão esperado “Os Incríveis 2” e existem poucas sequências de filmes que são bons em todos os seus números (“Toy Story” é o maior exemplo que temos disso). Os Incríveis 2 não deixou nada a dever diante do primeiro filme.

A atenção é prendida do começo ao fim. O filme se inicia com a aparente decadência dos