Aprender

By |2019-04-29T14:45:24-03:00abril 30th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , |

Olá, meus queridos leitores! Hoje respondi a uma pergunta e gostaria que você também respondesse: o que você gostaria muito de aprender?

Eu sou uma aprendente com sede! Sede de aprender inglês, de tirar meu sotaque, de falar bem em público, de cantar, pilotar avião, de dirigir carreta, de dançar, me maquiar, a decorar ambientes, a malhar, comer saudavelmente e coisas fáceis como um dom, uma vocação.

Eu sou uma aprendente ansiosa! Ansiosa por apender a sorrir mais, a entender o outro, a não julgar, a acolher, quais são as coisas importantes da vida, a educar melhor meus filhos, a ser sábia, a ter mais intimidade com Deus, a compreender as diferenças, a ter mansidão, saber que todas as coisas boas e ruins passam e ser organizada.

Eu sou uma aprendente que sonha!

Sonha em aprender que as pessoas são muito mais do que consigo enxergar, que cada um tem o seu jeito e maneira de expressar seu amor e suas limitações, a amar apesar de, a ser livre, encontrar a paz, a superar meus traumas, meus medos, a curtir e viajar mais com minha família.

Eu sou uma aprendente que acredita!

Acredita que pode aprender a ser feliz, ser inspiração, fazer o bem, ajudar, sentir a alegria e a dor do outro, abraçar mais, ensinar com o coração, a ser exemplo na minha profissão: “as vezes curar, geralmente aliviar e sempre confortar”.

E finalmente, não quero parar de aprender!

Aprender é vida,
Vida que pulsa,
Vida que se reinventa,
Vida que se confirma,
Vida que muda,
Vida que se movimenta,
Aprender, alimenta o

A vida

By |2019-04-04T18:11:17-03:00abril 12th, 2019|Categories: Reflexões|Tags: , , , , , , , , , , , |

Em novembro do ano passado completei trinta e nove anos. Conversando com minha psicóloga, disse que queria voltar a ter meus 14, 15, 16 anos. Ela me perguntou o motivo pelo qual eu gostaria que isso acontecesse. Eu falei de alguns aspectos físicos que me incomodam. Sou muito vaidosa. Então, ela me mostrou o outro lado da moeda. Me falando que eu não teria toda a maturidade que possuo atualmente. Nem minha bagagem de vida. E completou dizendo, dentre as muitas coisas que conversamos, que a vida é muito mais que umas ruguinhas que vão aparecendo. Que a vida é muito mais que uns dedos que vão ficando mais tortos com o passar dos anos. Que a vida é muito mais que essas pequenas coisas. Que a vida é as relações que construímos com as pessoas. O amor. A nossa alegria. A nossa maturidade que só adquirimos quando vamos ficando mais velhos.

Eu saí de lá muito pensativa e calada. Pois, para mim está sendo bastante difícil esses quase quarenta. Já estava cheia de neuroses com isso.

Fui dormir pensando em tudo que tínhamos falado naquela tarde. Refleti. Então, decidi superar e ficar feliz por ter meus 39 anos. Foi a atitude mais sábia que poderia ter tomado rsrsrs. Porque a vida é o presente. É o agora. É este instante. E este momento. Eu perderia muito tempo se continuasse me lamentando. Perderia tempo de curtir a vida. Sorrir. Celebrar. Lutar. Amadurecer. Viver. E de ser feliz.